Como os strip malls ocupam os espaços residuais urbanos no município de São Paulo, Brasil

How the strip malls occupy urban residual spaces in São Paulo, Brazil.

Authors

  • Hugo Louro e Silva
  • Fabiana Henrique Hernandes

DOI:

https://doi.org/10.54018/sssrv2n3-012

Keywords:

Brasil, morfológicos, imobiliário, -//- Brazil, morphological, real estate, real estate

Abstract

A formação urbanística e morfológica do município de São Paulo (maior metrópole brasileira), em função de condições econômicas e regulatórias, fez com que o desenho das quadras urbanas fosse feito em “retalhos” de lotes urbanos.Com o desenvolvimento econômico e o apoio regulatório municipal, algumas áreas valorizadas do município tiveram o agrupamento de lotes pontuais dessas quadras para a verticalização e adensamento urbano. Como esses agrupamentos ocorreram com lógicas comerciais à possibilidade aquisição dessas propriedades, o perímetro desses empreendimentos permitiu a não ocupação de alguns lotes (em especial de esquina) que foram excluídos desses projetos.Consolidados os grandes empreendimentos no município, oportunamente alguns lotes escaparam do desenvolvimento imobiliário carregando em si uma dicotomia funcional: ao mesmo tempo que bem localizados, não possuem geometria para serem desenvolvidos e adensados, que foram ocupados com usos comerciais qualificados.Nesse contexto, esse artigo trará um breve histórico dos strip malls no Brasil e apresentará alguns casos de como essa tipologia comercial preencheu funcionalmente esses resíduos morfológicos.

 

The urban and morphological formation of São Paulo (largest Brazilian metropolis), due to economic and regulatory conditions, meant that the design of the urban blocks was done in “pieces” of urban lots.With the economic development and municipal regulatory support, some valued areas of the municipality had the grouping of specific lots in these blocks for verticalization and urban density. As these groupings took place with commercial logic regarding the possibility of acquiring these properties, the perimeter of these projects allowed the non-occupation of some lots (especially corner) that were excluded from these projects.Consolidated the large undertakings in the municipality, in due course some plots escaped real estate development carrying a functional dichotomy within them: while well located, they do not have geometry to be developed and densified, which were occupied with qualified commercial uses.In this context, this article will provide a brief history of strip malls in Brazil and will present some cases of how this commercial typology functionally filled these morphological residues.

Additional Files

Published

2021-12-23

How to Cite

Hugo Louro e Silva, & Fabiana Henrique Hernandes. (2021). Como os strip malls ocupam os espaços residuais urbanos no município de São Paulo, Brasil: How the strip malls occupy urban residual spaces in São Paulo, Brazil. STUDIES IN SOCIAL SCIENCES REVIEW, 2(3), 321–335. https://doi.org/10.54018/sssrv2n3-012