O desafio de profissionais da area de obstetricia diante da violencia obstétrica

The challenge of midwifery professionals in the face of obstetric violence

Authors

  • Marcus Tulio Caldas
  • Mirela Paulina dos Santos França

DOI:

https://doi.org/10.54018/sssrv2n3-008

Keywords:

Psicológica, mulheres, bebê, / Psychological, Women, Baby

Abstract

A violência pode ser definida como qualquer ação que tenha o uso intencional de poder ou força física, real ou em ameaça, contra si, contra o outro ou contra um grupo, que resulte ou possa resultar em dano psicológico, lesão, deficiência ou morte segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS, 2002). Quando direcionada ao gênero feminino, causando morte, dano ou sofrimento de ordem física, sexual ou psicológica, tanto na esfera pública quanto na esfera privada, é classificada como violência contra a mulher Quando as mulheres buscam ajuda, além da preocupação sobre a sua saúde e a do seu bebê, há o intuito de compreender de forma mais ampla e abrangente o contexto que estão vivendo, pois para elas e suas famílias a gestação e o parto são configurados como um momento único em sua vida, portanto carregados de fortes emoções. A forma como a experiência é vivida por elas neste momento pode deixar marcas indeléveis

 

Violence can be defined as any action that has the intentional use of power or physical force, actual or threatened, against oneself, another, or a group, which results or may result in psychological damage, injury, disability, or death according to the World Health Organization (WHO, 2002). When directed at the female gender, causing death, harm, or suffering of a physical, sexual, or psychological nature, in both the public and private spheres, it is classified as violence against women. The way they experience this moment can leave indelible marks

 

Additional Files

Published

2021-12-09

How to Cite

Caldas, M. T. ., & França, M. P. dos S. . (2021). O desafio de profissionais da area de obstetricia diante da violencia obstétrica: The challenge of midwifery professionals in the face of obstetric violence. STUDIES IN SOCIAL SCIENCES REVIEW, 2(3), 267–278. https://doi.org/10.54018/sssrv2n3-008