O tratamento do melasma com microagulhamento e ácido Tranexâmico

The treatment of melasma with micro needling and Tranexamic acid

Authors

  • Vicente Alberto Lima Bessa
  • Vanessa Teixeira Paula Moraes

DOI:

https://doi.org/10.55034/smrv3n3-013

Keywords:

melasma, microagulhamento, tranexamic acid

Abstract

O melasma é uma das alterações pigmentares que mais causam problemas psicossociais nas mulheres, influenciando sua qualidade de vida, sendo uma disfunção inestética de difícil tratamento com recidivas. Tratamentos com princípios ativos despigmentantes associados a equipamentos são realizados com o objetivo de clarear as manchas, incluindo ácido tranexâmico e microagulhamento. O estudo é uma revisão sistêmica e sua busca foi realizada na base de dados PubMed, com artigos originais de 2017 a 2022 para investigar os benefícios do microagulhamento e/ou ácido tranexâmico no tratamento do melasma. Os estudos incluídos foram um ensaio clínico, um ensaio clínico randomizado, um ensaio clínico não randomizado e um estudo prospetivo randomizado publicado em inglês. O microagulhamento utiliza rolos com agulhas ou caneta elétrica para gerar uma lesão controlada, aumentando a produção de colágeno e elastina, além de criar canais que aumentam a permeação transdérmica dos princípios ativos (drug delivery). Estudo realizado mostrou os efeitos benéficos do drug delivery de vitamina C e ácido tranexâmico, ambos apresentando diminuição entre 15% e 27% no melasma. Outra associação foi realizada com plasma rico em plaquetas, que potencializa a ação despigmentante do ácido tranexâmico lipossomado. Pode-se dizer que o ácido tranexâmico isoladamente ou em associação ao microagulhamento é uma alternativa terapêutica eficaz e segura no tratamento do melasma, mas são necessários mais estudos para contribuir de forma mais efetiva para a melhora dessa disfunção.

Published

2022-07-25