Diálogo entre arendt e bauman sobre os principais riscos à democracia na modernidade líquida pós-pandemia: o cidadão transformado em consumidor e a verdade factual ameaçada

Dialogue between arendt and bauman on the main risks to democracy in post-pandemic liquid modernity: the citizen turned consumer and factual truth under threat

Authors

  • Cintia Barudi Lopes
  • Thiago Luiz dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.55034/smrv3n2-007

Keywords:

arendt, bauman, indivíduo-consumidor, destruição da verdade factual, risco à democracia

Abstract

Examina-se, por meio do método hipotético-dedutivo, a existência de diálogo entre as ideias de Bauman e Arendt sobre ameaças da Modernidade Líquida à democracia. Os estudos iniciais permitiram a conceituação de “espaço público” em Arendt e Bauman e a confirmação da degradação deste, ensejando a mutação da condição social do cidadão, que passa a ser mero consumidor. Avançando, confirmou-se que tais fenômenos são solos férteis à perpetração da mentira sistemática e à destruição da verdade factual. Enfim, viu-se que as mudanças da modernidade líquida oportunizam a destruição da democracia tal qual é conhecida. Conclui-se pela negligência às exortações dos autores, pois a destruição da democracia segue sua marcha regular. Pretende-se contribuir com a academia e a sociedade ao exortá-las a aprimorar e proteger a democracia, principalmente no cenário de “Modernidade Líquida” pós-pandêmica.

Published

2022-05-17