A semaglutida oral irá substituir a cirurgia metabólica? Revisão sistemática

Will oral semaglutide replace metabolic surgery? Systematic review

Authors

  • Ana Paula Sôlha e Silva Guimarães
  • Artur Lima Sendin
  • Cláudio de oliveira chiari campolina

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv3n2-009

Keywords:

semaglutida, peptídeo 1 semelhante ao glucagon, diabetes mellitus tipo 2, cirurgia bariátrica, derivação gástrica

Abstract

Artigo de revisão – Introdução: o diabetes mellitus tipo 2 é uma doença de grande prevalência mundial e sua incidência tem crescido de forma preocupante. O combate a essa doença apresenta múltiplas abordagens e, nesse contexto, a cirurgia metabólica surgiu como uma alternativa eficaz para o tratamento. No entanto, recentes avanços na abordagem clínica, com o desenvolvimento e o uso da semaglutida oral, podem colocar em xeque a escolha e a indicação da cirurgia. Objetivo: comparar a eficácia do análogo de peptídeo 1 semelhante ao glucagon, semaglutida via oral, como uma possibilidade de tratamento da diabetes mellitus tipo 2, defrontando a opção terapêutica da cirurgia metabólica. Métodos: revisão da literatura com base em 23 artigos científicos, sendo 14 referentes à cirurgia metabólica e 9 referentes à semaglutida oral, compostos por meta-análises, ensaios clínicos randomizados e estudos observacionais no período de 2012 a 2020. Foram utilizados os bancos de dados PubMed, Springer, Scielo e Google Scholar, com os descritores: Semaglutida; Peptídeo 1 Semelhante ao Glucagon; Diabetes Mellitus tipo 2; Cirurgia Bariátrica; Derivação Gástrica. Resultados e discussão: comparando-se os artigos mais relevantes dos dois grupos analisados, percebe-se redução da hemoglobina glicada, melhor controle da glicemia e remissão do diabetes de forma mais significativa nos pacientes submetidos à cirurgia metabólica do que naqueles submetidos ao tratamento com semaglutida oral. Conclusão: a derivação gástrica é mais eficaz para o tratamento do diabetes mellitus tipo 2 nos parâmetros analisados, ainda que sejam necessários estudos de maior duração em relação aos impactos da semaglutida oral no tratamento em longo prazo.

Downloads

Published

2022-04-05