Avaliação da repercussão dos sintomas depressivos na qualidade de vida de pacientes com DPOC

Evaluation of the repercussion of depressive symptoms on the quality of life of patients with COPD

Authors

  • Ana Cristina Guimarães Mendes Alves
  • Ana Paula Vieira Machado Ramos
  • Bárbara Oliveira Paixão
  • Jéssica Faria Freitas
  • Júnia Rios Garib

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv3n1-050

Keywords:

transtorno depressivo, doença pulmonar obstrutiva crônica, qualidade de vida, exacerbação dos sintomas, pacientes

Abstract

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) associa-se comumente a múltiplas comorbidades, sendo a depressão frequente e, na maioria das vezes, subdiagnosticada. A prevalência de depressão em pacientes portadores de DPOC varia de 10 a 42% - uma proporção muito maior do que a da população geral - e está relacionada a maiores taxas de exacerbações e admissões hospitalares, a maior gravidade dos sintomas, a piora da funcionalidade e, por fim, ao aumento da mortalidade. Nesse contexto, a detecção do quadro depressivo em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica contribui para melhor qualidade de vida desses pacientes. Com o objetivo de avaliar a prevalência de sintomas depressivos em pacientes portadores de DPOC e analisar a repercussão desses sintomas na qualidade de vida, nas taxas de exacerbações, nas admissões hospitalares e na gravidade dos sintomas dos pacientes portadores dessa doença foi realizado um estudo não intervencional, descritivo e transversal no período de março de 2018 a outubro de 2018 no ambulatório de pneumologia da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais. Entre os resultados, a prevalência de sintomas depressivos foi de 25%. Ao contrário do que se esperava estes sintomas foram mais comuns na população idosa e não houve associação significativa entre sexo e índice da função pulmonar. Os indivíduos com DPOC e sintomas depressivos apresentaram piores desfechos relacionados à qualidade de vida, exacerbações e internações hospitalares. Não foi possível comprovar se pacientes com piores padrões respiratórios desenvolvem sintomas depressivos ou se portadores de sintomas depressivos apresentam mais exacerbações com sintomatologia mais grave, sendo necessário novos estudos para elucidar essas hipóteses.

Downloads

Published

2022-03-23