Fístula precoce em pacientes submetidos à bypass gástrico Análise de modificação da técnica

Early fistula in patients undergoing gastric bypass. Technique modification analysis

Authors

  • Marcelo Barros Weiss
  • Lucas Goiatá Gonzalez
  • Priscilla Azalim Villa Real
  • Cristina Pimont de Oliveira
  • Conrado Lemos Rebouças
  • Victor dos Reis Cunha
  • Isabella Nunes Borges Ferreira
  • Fernanda Gomes Sobreira Marçola

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv3n1-048

Keywords:

fístula em cirurgia bariátrica, complicações de cirurgia bariátrica, técnica de cirurgia bariátrica

Abstract

Introdução: Doença crônica, degenerativa e incurável segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) que é caracterizada pelo excesso de gordura corporal. É considerada uma epidemia em todo o mundo, estando associada a várias patologias correlatas que acabam determinando mortalidade mais precoce. Métodos: Estudo tipo caso-controle onde no primeiro grupo de 284 pacientes operados entre 2012 a 2017 pela técnica de By-pass gástrico simplificado sem anel.  Foram analisados, idade, peso pré-operatório, índice de massa corporal pré-operatória, tempo de internação, presença ou ausência de deiscência anastomótica na cirurgia e pós-operatória (PO) precoce, além de mortalidade. Comparados com segundo grupo de 128 pacientes operados entre 2017 e 2019 que tiveram, a técnica modificada pela sobre sutura sistemática no ponto de vazamento observado no grupo anterior. Resultados: Do total de pacientes do primeiro grupo, 263 pacientes (92.6%) não apresentaram deiscência anastomótica, com média de idade de 36.5, IMC de 43.2 e tempo de internação de 3.74 dias. Dentre grupo de 284 pacientes estudados, 17 (5.98%) apresentaram vazamento na anastomose no perioperatório identificados através do teste de azul de metileno. No segundo grupo de 128 pacientes (onde todos receberam a sobre sutura na linha de grampeamento) não foram observados vazamentos intra-operatórios e nem pós-operatórios (com um nível de confiança maior que 95%). Não houve mortalidade associada com média de internação inferior a 48 horas. Conclusão: Ao realizarmos a sobre sutura de forma sistemática geramos maior estabilidade da anastomose, diminuindo a tensão da linha não permitindo o aparecimento do vazamento das linhas de sutura mecânica nesse estudo.

Published

2022-03-22