Potencialidades Dos Comitês De Investigação Da Transmissão Vertical Da Sífilis

Potentialities of Committees Investigating the Vertical Transmission of Syphilis

Authors

  • Neide Gravato da Silva
  • Cesar Augusto Inoue
  • Roselia Terezinha Paganotti Mazzo

DOI:

https://doi.org/10.54022/shsv3n1-023

Keywords:

Sífilis, Sífilis Congênita, Comitês, Vulnerabilidades Programáticas, Monitoramento/, Syphilis, Congenital Syphilis, Committees, Programmatic Vulnerabilities, Monitoring.

Abstract

A sífilis congênita (SC) está relacionada diretamente a qualidade do pré-natal, por ser uma doença evitável, se o diagnóstico e tratamento da gestante foram realizados adequadamente e em tempo hábil. No Município de São Paulo, desde 2006 observa-se uma preocupação com o agravo, foram criadas diversas portarias com objetivo de reduzir da incidência de SC, tais como: Comissão de Normatização e Avaliação de Controle da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis Congênita, Comitês Regionais de Investigação da Transmissão Vertical da Sífilis, o APP -TVSP, o Projeto ECHO e a Linha do Cuidado da Sífilis Congênita (SC). (SMS-SP 2006, SMS -SP 2011, SMS-SP2018 SMS-SP,2019) A partir de 2018 com a chegada da apoiadora do Projeto Sífilis Não, (ação Inter federativa entre o Ministério da Saúde e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte -UFRN), uma das principais demandas solicitadas pela gestão da Coordenadoria de Saúde do Centro (CRS), foi a reestruturação do Comitê. Dois meses após o início do apoio ocorreu a primeira reunião do Comitê, com publicação em diário oficial, incluindo diferentes representantes da rede de cuidado, para discutir os casos trazidos pela Unidade de Vigilância em Saúde (UVIS) possibilitando respostas rápidas de redução da SC. A pedido da gestão, a apoiadora visitou as unidades da CRS, entrevistando gestores, e equipes e observação em sala de espera. Observou-se que a alta rotatividade de profissionais trazia lacunas no cumprimento dos protocolos do município, e oportunidades de cuidado eram perdidas, sendo a principal falha a oferta do Teste Rápido (TR) para sífilis no acolhimento, e perda de segmento das gestantes e crianças. A partir da sensibilização no território da CRS Centro, iniciou-se o monitoramento dos casos, e um processo de capacitação das equipes, com objetivo de reduzir o agravo da SC.  Este relato tem como objetivo descrever a dinâmica das capacitações das equipes de acolhimento, o processo de apoio, monitoramento das gestantes com sífilis e a redução da sífilis congênita, através do fortalecimento do Comitê e do Grupo Condutor da Sífilis.

 

Downloads

Published

2022-01-31