Eficácia da laserterapia no tratamento da mucosite oral em pacientes com cec de língua: relato de caso

Authors

  • Dara Vitória Pereira Lopes Silva Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Luis Victor Silva Ribeiro
  • Müller Gomes dos Santos
  • Joise Maiara Lopes Pereira
  • Julyana da Silva Freire
  • Rita de Cássia Dias Viana Andrade
  • Ivigna Ferraz Neves Oliveira
  • Maria da Conceição Andrade de Freitas

Keywords:

Antineoplásicos, Laser, Mucosite oral, Quimioterapia

Abstract

A mucosite oral (MO) é uma das complicações comuns do tratamento quimioterápico e / ou radioterápico. O laser de baixa intensidade tem sido muito utilizado em pacientes com MO devido a sua alta capacidade de metabolismo celular, atuando como analgésicos, antiinflamatórios e reparadores de lesão na mucosa. Este estudo consiste em relatar um caso clínico onde foi utilizado um laserterapia de baixa frequência no tratamento da MO em paciente submetido a quimio / radioterapia. Paciente do sexo masculino, 56 anos, com diagnóstico de carcinoma espinocelular em base de língua, fumante, etilista, em protocolo de quimio / radioterapia, serviço o serviço de Odontologia da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia, em Vitória da Conquista / BA, no décimo dia da oncoterapia com queixa de sintomatologia dolorosa ao se alimentar. Ao exame clínico observado-se mucosita grau IV na região de lábio inferior e mucosa jugal. Foi utilizado a laserterapia de baixa intensidade cinco vezes na semana. O paciente utiliza suplemento de sulfato de zinco em cápsula de 220 mg / dia, via oral, sem decorrer da quimio / radioterapia. Após oito dias da aplicação do laser, observado-se o processo de reforço e alívio da dor. Com 30 dias, notou-se uma cicatrização expressiva. Dessa forma, por ser uma técnica não invasiva e não ter relatos de pacientes associados, a laserterapia deve integrar o protocolo de tratamento nos serviços de oncologia pela ação preventiva e curativa, além de representar baixo custo e permitir uma melhora na qualidade de vida dos . O paciente utiliza suplemento de sulfato de zinco em cápsula de 220 mg / dia, via oral, sem decorrer da quimio / radioterapia. Após oito dias da aplicação do laser, observado-se o processo de reforço e alívio da dor. Com 30 dias, notou-se uma cicatrização expressiva. Dessa forma, por ser uma técnica não invasiva e não ter relatos de pacientes associados, a laserterapia deve integrar o protocolo de tratamento nos serviços de oncologia pela ação preventiva e curativa, além de representar baixo custo e permitir uma melhora na qualidade de vida dos . O paciente utiliza suplemento de sulfato de zinco em cápsula de 220 mg / dia, via oral, sem decorrer da quimio / radioterapia. Após oito dias da aplicação do laser, observado-se o processo de reforço e alívio da dor. Com 30 dias, notou-se uma cicatrização expressiva. Dessa forma, por ser uma técnica não invasiva e não ter relatos de pacientes associados, a laserterapia deve integrar o protocolo de tratamento nos serviços de oncologia pela ação preventiva e curativa, além de representar baixo custo e permitir uma melhora na qualidade de vida dos .

Published

2022-01-12