A vida em rede: comunidades linguísticas emergidas entre jovens na rede social twitter e os vocábulos nativos dessa comunidade

Life on the net: emergent linguistic communities among young people on the social network twitter and the native words of this community

Authors

  • Juliana Silvestre de Vargas

DOI:

https://doi.org/10.54019/sesv3n2-018

Keywords:

linguística aplicada, twitter, clubes de fãs, comunidades linguísticas, referências, imprevisibilidade

Abstract

O twitter da rede social é uma rede social interactiva como um diário virtual. Nela, os utilizadores disponibilizam, de forma escrita, através de "tweets", detalhes do seu dia. Nesta perspectiva, foi estabelecida entre jovens, fãs de sagas literárias, séries ou artistas de hoje, destinada a públicos jovens, comunidades linguísticas de interacção chamadas "FCs" (clubes de fãs). Estas comunidades têm um perfil de utilizador e palavras específicas e muito características que constroem estes interactistas como utilizadores dos FCs numa base individual e lhes permitem compreender, ser bem recebidos e interagir, dentro desta comunidade, através deste vocabulário seleccionado. Neste estudo, pretendemos analisar palavras, nativas desta comunidade, através de "tweets", exibidas publicamente na rede social, de acordo com a noção de comunidades linguísticas, objectos de fala e a imprevisibilidade. Os resultados indicam que a socialização das palavras, introduzida e partilhada pelos FCs, na rede social, torna viral uma parte destas referências e estas são reproduzidas até serem apresentadas a diferentes públicos que não fazem parte desta comunidade, na qual a palavra foi originada.

Published

2022-04-29

How to Cite

de Vargas, J. S. . (2022). A vida em rede: comunidades linguísticas emergidas entre jovens na rede social twitter e os vocábulos nativos dessa comunidade: Life on the net: emergent linguistic communities among young people on the social network twitter and the native words of this community. STUDIES IN EDUCATION SCIENCES, 3(2), 722–739. https://doi.org/10.54019/sesv3n2-018